facebook
...

Canadá legaliza sexo com animais

457

No Canadá as relações sexuais com animais foram legalizadas. Sim, a zoofilia, agora faz parte da lei, não é crime. Quem legalizou por sete votos a um foi a Suprema Corte. A decisão dos juízes contém apenas uma ressalva, de que a bestialidade só será crime se houver penetração.

Canada Suprema CorteParece que tal ressalva impõe um limite, mas é uma loucura afirmar isso pois: nenhum animal vai estuprar um ser humano e nenhum animal penetrado por um ser humano prestará queixa à polícia. Tal limitação é puro cinismo, o que o Canadá fez foi liberar de vez a bestialidade e fingir que não o fez completamente.

Alguém consegue imaginar um cachorro entrando na delegacia e prestando a seguinte queixa: “Senhor delegado, o rapaz queria apenas umas lambidas no membro, mas empolgou-se demais e acabou por me penetrar. Não aceito este abuso e vim aqui prestar queixa, pode fazer o exame de corpo e delito. Quero meus direitos. Au, au, au.

O estado comete esses absurdos. Este ano, no Brasil, houve um caso onde levaram um garoto de 11 anos para ser abusado sexualmente em uma prisão.

A origem do caso no Canadá

Como o caso chegou ao Supremo? O réu era um homem da Columbia Britânica, identificado apenas como “DLW”. As acusações foram o abuso sexual de duas menininhas e bestialidade com um animal doméstico. As duas garotinhas eram suas enteadas e menores de idade. O animal envolvido era o cachorro da família. Os advogados apelaram conforme explicação a seguir.

O argumento dos advogados de DLW foi que a bestialidade, ligada à sodomia com animais, que começou com um código criminal de 1892, usada pela primeira vez em um código de 1955, ainda não portava definição que abrangesse todos os atos sexuais com animais.

O réu foi condenado a 13 anos de prisão, mas como não houve penetração do animal a acusação de bestialidade foi suspensa.

De acordo com o “Telegraph”, a diretora da organização Animal Justice, Camille Labhuck, criticou a decisão:

“Isso é completamente inaceitável, contrário às expectativas da sociedade e não pode continuar.”

Quem noticiou originalmente foi o jornal britânico Independent.

Deixe uma resposta